segunda-feira, 23 de abril de 2007

Lições Aprendidas (... ou por aprender) para a maratona

- os planos de treinos dos amigos são bem feitos, com lógica e equilibrados.
nunca, mas nunca mesmo, copiar um plano de treinos adaptando-o de 5 dias (para o qual foi programado) para 4 dias – resulta mal! dá para fazer o melhor tempo na meia maratona, em termos intercalares no período de treino, mas no fim o resultado é bera.

- para além desta heresia, nunca alterar o plano de treinos nas últimas 3 semanas, a não ser para descansar mais. lixei-me!

- nas últimas 2 semanas de treino antes da estreia tive várias viagens em trabalho, pelo país. se for possível evitar, ou gerir as datas mais convenientes, recomendo. viajar é bom, mas em período de tapering pode ter maus resultados.

- ter cuidado no período de tapering com factores extra corrida, pois por muito bem treinado que se esteja, a máquina é holística e portanto, stresses na vida pessoal ou profissional, podem comprometer os objectivos.

- ter cuidado na análise ao cardio para não gerar preocupações escusadas. é natural a frequência cardíaca estar um pouquinho elevada devido à excitação de fazer uma 1ª maratona. é preciso não lhe ligar muito e ouvir, isso sim, o corpo. contudo o cardio não deixa de ser uma boa ferramenta.

- com 3 a 4 treinos por semana nunca estabelecer uma meta de tempo final ambiciosa. não há milagres – mesmo!, e portanto é preciso ir com calma, a seu tempo tudo aparece. e para fazer uma maratona com algum nível é preciso treinar pelo menos 5 vezes por semana (em meu entender, mas aqui também não sei bem porque nunca tive paciência para treinar mais do que 4 vezes por semana ;-)

- é perfeitamente possível fazer uma maratona com 3 ou 4 treinos por semana. e acabar bem. apenas não vale é querer muito para além de desfrutar da prova e de receber o prémio de chegar ao fim.

- para se fazer uma maratona ao fim de 2 anos de corrida é preciso começar a treinar com regularidade pelo menos 6 meses antes. a base para as maratonas ganha-se com os anos; só há um segredo, quilómetros nas pernas.

- tirar sempre – caso seja possível - um dia de férias (ou mais) depois da maratona. ir trabalhar no dia seguinte é mau!

- gozar a maratona, bebê-la toda, porque nunca sabemos se ou quando vamos fazer a próxima.

- se possível pedir ao carlos ferreira para estar presente – nem que seja necessário pagar honorários e despesas de deslocação – pois não há fotos iguais às que ele tira, nem molduras mais fantásticas do que a que tenho na minha sala! ;-) obrigado carlos!

2 comentários:

Carlos Ferreira disse...

Gostei muito das tuas reflexões. Acho que revelam que te estás a mentalizar de forma correcta para o namoro e casamento. Aprendi com o nosso amigo Nuno que nada se deve deixar ao acaso. Começando no treino e indo até à água. Eu também o faço. Não te rias por favor. As últimas duas também foram planeadas. Treino Longo e a seguir PROVA. hehe!!!!
Quanto as fotos para a Maratona do PORTO não sei se as farei, pois o meu objectivo é acompanhar-te na ida ao PORTO. Ou para fazer a Maratona (tentar vingar-me) ou para fazer a MEIA. Pelo menos planeio estar no fim da tua prova para dar uma abraço amigo.

António Bento disse...

caríssimo amigo carlos
esse abraço amigo é desde já a razão mais forte para terminar a maratona. todas as outras contam e muito como sabemos, mas essa ... é incomparável.
grande abraço
ab