quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Angústias de pai

acabo de chegar de lá. doi-me tudo. parece que levei uma tareia. a espera atormenta, a falta de controlo sobre a situação.
não é em nada comparável a quando se passa connosco.
aí controlamos como podemos reagir.

a operação não era (felizmente não foi) nada de especial. ao nariz. aos cornetos.
mas o acordar foi violento. estivemos muito tempo a tentar acalmá-lo. sangrava. entrou em pânico por não conseguir respirar pelo nariz.
o reflexo natural era querer assoar-se e mexer no nariz. puro instinto de sobrevivência.
sussurava-lhe ao ouvido, tentando inspirar alguma calma. tinha que o agarrar - com força! para não se magoar, nem na parede, nem nas grades da cama.

quem já assistiu ao despertar de uma anestesia sabe que observamos a natureza humana numa forma próxima do tresloucado, onde os olhos falam por si; parece que vão saltar.
tudo o que nunca mostramos e guardamos cá dentro vem à superfície nestas alturas.

como pai, nada há que me angustie mais do que o sofrimento dos meus filhos.
pelo sentimento de impotência. pela falta de domínio de todos os meios para reduzir esse sofrimento.
a cura também resulta do sofrimento. infelizmente tem que se passar por esse estádio.
mas hoje foi muito duro.
cada um deles já havia sido operado uma vez. sabíamos que o despertar é difícil. hoje, foi-o particularmente.

amanhã será outro dia e já com outra perspectiva. terá alta e estará em casa. começará a recuperação. como força da natureza que é, correrá bem.
e como pais, acreditamos que fizémos o melhor para o ajudar. esgotadas muitas outras abordagens e possibilidades, escolhemos esta.
permaneceremos com a dúvida, mas confiantes de que foi uma boa escolha.

no que depender dos nossos corações e vontade, a partir de agora a saúde melhorará.
acreditamos, porque temos que, e queremos, acreditar que sim!

o amor mostra-se mais forte nos momentos adversos.
é sempre quando sabemos que amamos incomensuravelmente.
amo-os tudo!

ab

6 comentários:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Vai correr tudo bem António.

Muito amor ajuda, disso não tenho dúvidas, e isso é coisa que não vos falta.

Um boa recuperção para o filhote.

Ana Pereira

Faroleiro-Mor disse...

Vai correr bem.
Mas nos entretantos, é mesmo assim... custa. Como só os pais sabem.

É o reverso da moeda mais valiosa.

E porque não tendo, tem tudo a ver, quando estiveres emocionalmente restabelecido vê "A Troca" (de Clint Eastwood). Vais certamente rever-te.

Abraço ao rapaz.
HT

Anónimo disse...

Amigo
desejo-lhe uma rápida recuperação, vai ser com toda a certeza.
O mais complicado é não se poder respirar pelo nariz, cansa muito, passei pelo mesmo.
Já a angústia de pai/mãe essa não é fácil, só mesmo passando por isso, infelizmente também passei por isso (a Vitória esteve internada no serviço de neonatologia durante alguns dias depois de nascer).
Grande abraço para a família,
antónio

Pedro Alves disse...

Olá,

Filho de tartaruga... rapidamente se vai por aos pulos...

Um abraço ao rapaz canoagem

Nadais disse...

antónio,

não sou de preces, mas estimo muito as melhoras do filho.

forte abraço.

valeu!

nadais

Nuno disse...

Antonio
Rapidas melhoras para o seu filho, tudo de bom