quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

A dor

insinuou-se no domingo, durante os 3 útlimos quilómetros.
com o gelo pós-treino e o descanso dominical amainou. durante 2 dias andou escondida, quiçá a redobrar forças. 4ªf de madrugada saíu à rua comigo e acompanhou-me durante 8 km. envergonhada, como nas púberes tentativas de namorico. no final deu a cara e apesar de mais gelo e de uma pomada anti-inflamatória, continuou de braço dado e aumentou a intensidade da sua presença.
ontem à noite fui comprar spary frio anti-inflamatório. apliquei, e hoje durante o dia, novamente, e estamos numa convivência francamente mais sã (para mim, claro ... :-)
é imediatamente acima do tendão de aquiles direito, um pouco abaixo dos gémeos. é uma zona dorida e inflamada. nem os pêlos protegem :-)

custa. deita abaixo.
mas não totalmente! tem que ser passageira ...!
apesar de ser um dos pesadelos dos corredores em pleno processo de preparação para um objectivo que muito se deseja conquistar.
tal como na vida, cá está a questão da saúde!
as dores depois de um treino em modo tareia são boas. são sinais geríveis e rapidamente se transformam em bem-estar. as dores provenientes de lesões são dores negras, que fazem doer tanto localizadamente, como na própria alma.

mas já há muito investimento para baixar os braços! agora resta a frieza do spray e da cabecinha pensadora. racionalmente teremos que nos defrontar. para já descanso. quando me sentir bem, um treino experimental.
esta semana era de descanso com um treino forte e 21 km no domingo.
aproveitarei para levar o descanso a sério. vigilante. para já está a melhorar.

e há sempre um momento que nos faz acreditar. o de hoje surgiu quando seguia para o trabalho, depois de deixar o andré na escola. perto do hospital de santa cruz um par de namorados. sorriam, ela inclinava a cabeça para trás e o longo cabelo encaracolado ondulava levemente. ele deleitava-se com os gestos dela. embeiçados. tudo à volta corria mas ali, naquele momento, o mundo era apenas deles.
eu passava de carro. agradeci à vida poder olhar este momento. poder ver aquele pequeno pormenor no meio da confusão e dos acelerados ritmos matinais. valeu muito. devolveu-me a crença, não perdida, mas escondida durante alguns momentos.

ab

6 comentários:

Anónimo disse...

Quando pensava que era desta que ia poder desfrutar de um treino na sua companhia em plena Leziria, aparece essa lesão.
Outra oportunidade surgirá. Um abraço e as suas melhoras
A. Luis

Nuno disse...

Recuperar é o que se pede nesse momento.
O treino, a carga já colocada no teu corpo, nas tuas pernas, está lá.
Não deixes avançar muito isso. Se tiveres de parar alguns dias, é preferível do que estragares um plano inteiro de treinos.
Não é por abrandares ou parares mesmo alguns dias que vais perder a forma.
Crê em ti acima de tudo. Mas usa também acima de tudo a cabeça. Ouve o corpo. Se ele está a pedir para abrandares, fâ-lo.
A forma física já a tens, meu amigo.
Ânimo, e força para uma rápida recuperação

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Que isso "não seja nada"!

Quer dizer, alguma coisa é, mas desejo que passe bem e depressa.

Um abraço e continuação dessa força (força para saber parar quando é necessário também é precisa e nem sempre fácil de arranjar, mas o António vai tê-la e recuperar rapidamente, vai ver)

Desejos de melhoras
Ana Pereira

Maria Sem Frio Nem Casa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno disse...

Olá Antonio
Espero que a dor desaparece rapidamente. Desejo-lhe rápidas melhoras, é "concerteza" uma inflamação passageira.
1 Abraço

António Almeida disse...

Faço votos para que tenha melhorado.
Força.