terça-feira, 31 de março de 2009

Trilhos do Pastor II


entre fátima e a batalha

a pergunta que me resta é:
como voltar a correr provas de estrada, com a mesma motivação, depois da pica que tive neste fds?
cada vez que recordo os trilhos do pastor, só me vem à cabeça a imagem de criança, quando, com as outras crianças, partíamos de casa rumo a um dia de descoberta. sem saber o que viria a seguir. sempre à espreita de um pequeno susto, um sobressalto, que aumentava a adrenalina, que dava aquela volta ao estômago, mas a que queríamos voltar, sempre, logo no segundo imediato, após o "desejado" receio.
o fim de semana foi excelente. sábado rumámos a fátima e à batalha. visitámos o mosteiro, passámos em são mamede para levantar os dorsais e ver a bonita igreja, bem como o café dos primos :) e terminámos a visita com uma ida ao santuário, em fim de tarde.
o mosteiro da batalha

D. Nuno Álvares Pereira


a igreja de são mamede e o café dos primos :)

o santuário


grutas da moeda

domingo, um dia em cheio.
acordei cedinho, o sol já entrava pelo quarto do hotel da cova da iria (recomendo - 3 estrelas que fazem bem a vez de 4).

estava fresco. a malta acordou mas continuou na ronha. desci para o pequeno almoço e para encontrar o buda. decidmos ir a trote para a partida, que distava uns 3 quilómetros (sim a nossa jornada teve 31 km no domingo :)
cruzámo-nos com muitos peregrinos, que já rumavam cedo a fátima.

na zona da partida encontro com o nuno e animação no ar. estava frescote mas notava-se a vontade de partir. cumprimentei o tiago e o antónio pinho, que seguiu comigo até perto dos 40 ou 50 minutos de corrida.
a corrida está muito bem descrita aqui, pelo brito runner, numa excelente foto-reportagem.
e ainda apareço numa foto :)
obrigado brito!

e também no blogue do nuno.

o que posso acrescentar?

- que adorei correr, caminhar, correr, caminhar, ... - faz o meu estilo!
- que adorei estar isolado da "civilização" durante quase 4 horas, e por incrível que pareça, a apenas 1h de lisboa
- que a pia do urso é um lugar maravilhoso
- que vou voltar a fazer trilhos
- que gostei muito dos companheiros de prova, num ambiente diferente do das provas habituais, provavelmente pelo desafio e coabitação com a natureza em bruto
(amigo pinho, perdi-lhe o rasto, mas para a próxima colocamos a converssa em dia)
- que foi a primeira corrida onde a água estava sempre fresquinha, de início ao final
- e que as laranjas, bom, assim que terminei, se não me tivessem chamado para a última foto, ainda estava a comer aquelas maravilhosas laranjas

---

lições aprendidas:
- correr em trilho não permite levar powerade e gel na mão. não, não! para a próxima vai ser com mochila ou bolsa
- é fundamental ingerir bebidas e gel logo desde o início. essa foi uma das coisas que correu melhor, sempre bem hidratado e com energia
- os ténis de estrada aguentaram-se bem, mas vale apena investir nuns ténis mais robustos de trail. é que há pequenos movimentos que podem mesmo provocar lesões, apoios em pedras e em terreno desnivelado que pode conduzir a lesões - tive sorte, torci o pé 2 vezes mas sem grande problema
- o treino terá que ser feito em trilho com percursos "técnicos" para treinar a coisa. não dá apenas em trilhos "normais" só com sobe e desce
- o segredo para um atleta lento, de pelotão, como eu, está em saber exactamente onde andar e onde correr. curiosamente o nuno e o buda dão-me tareias na maratona, mas aqui consigo aproximar-me: percursos técnicos :)
- nos trilhos há que sguir sempre com muita atenção, as fitas sinalizadoras. por vezes ir atrás dos outros pode conduzir a mais umas centenas de metros. aconteceu-me e levei outros atrás :(

---

última nota:
parabéns à organização. não deve ser nada fácil montar uma logística deste calibre.
correu tudo muito bem, no que me toca.

até à próxima prova, ou quiçá, ao próximo trilho.

ab

3 comentários:

NK disse...

já está em estudo um treino "técnico", deixo aqui uma dica para pesquisa no google:
"pedra de alvidrar"

:D

Fernando Andrade. disse...

Amigo Bento, adorei ler o relato que, obviamente, me aguçou o apetite para este tipo de provas. Tinha pensadfo a Freita, mas a proximidade com o Raide deixa-me sérias dúvidas.
Grande abraço.
FA

Anónimo disse...

Amigo Bento, adorei o seu comentário, (como alias todos) pois eu também gostei muito de ter participado nesta prova, estes trilhos do pastor foram muito duros, mas adorei, como também ver e rever os amigos, tal como foi o Bento que fez o favor de cumprimentar-me, é com estes amigos que nos faz andar nestas brincadeiras. Amigo Bento para por mos a nossa conversa em dia é muito fácil no próximo domingo vou fazer. Raid. Atlético 30 km na Serra de Arrábida, prova organizada pelas Lebres do Sado, apareça.
Bons treinos
Um abraço
Antonio Pinho