sábado, 10 de novembro de 2007

Não!

sem dramatismos. a família está bem, a saúde está bem. nada de lamechices.
mas hoje preciso de palavras. 2ªfeira vou dizer não. é profissional. poderá não ser um grande não, mas um não é sempre relativo e a sua imensidão depende da importância que tem para nós. e maior ou menor, é sempre um não.

dizer não é a forma mais honesta de respeitar os outros. há sempre pouca coragem em dizer não.
talvez por uma questão de protecção, de defesa. dizer não é igual a ruptura. e as rupturas têm sempre consequências (também como as não rupturas, já agora ...).
mas não consigo viver de forma amorfa. corre-me um grito no sangue. labaredas altas. e não sou adepto do queixume (embora o pratique como qualquer comum mortal).
sabemos ser mais maduros quando, ponderados da forma possível a envolvente e os recursos internos, intuímos que chegou a hora da ruptura.
assumi-la nunca é fácil. mas quando se tem a certeza com o coração a decisão é inadiável.
será um não com impacto (pelo menos para mim - também ... já passei a idade das ilusões, de que as decisões têm grandes impactos).

é que a vida continuará a correr, mais ou menos serena, depois do não. como os fios de água nas nascentes. cristalinos, suaves, imparáveis. sem dramatismos. porque tudo tem a sua importância relativa. e sei bem o que é efectivamente importante.

mas preciso das palavras que se seguem.
são do poeta manuel alegre, no seu livro "che".

---

"talvez o che tenha sido o primeiro a compreender
que não se pode mudar o mundo
sem mudar o ritmo da relação com ele."

---

"pode ser uma guerrilha. pode ser um poema
pode ser um sinal quase invisível.
o que é preciso é que venha de dentro."

---

"é sempre possível acordar uma manhã e dizer
não vou.
...
fechar-se
no próprio quarto e proclamar
a serra é aqui."

---

acabei de receber um abraço do meu filho andré. adoro abraçar os meus filhos quando acordam. como normalmente já estou a pé há muito, chegam ensonados, quentinhos, carentes de um conforto para começar o dia.
o meu mundo renova-se.
vamos embora para o fluviário de mora. vamos festejar a felicidade de poder estar juntos. o não também pode esperar até 2ª feira.

bom fim de semana.
ab

1 comentário:

Pink&Blue disse...

Excelente post! Parabéns! Gostei mesmo muito!

FL