quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Indicadores da recuperação

encontro-me em estado de euforia. as pernas quase não doem, o corpo já mexe normalmente, já fiz uma ligeira corrida a 15 minutos o quilómetro na minha sala – trote suave, chamemos-lhe assim. e querem saber que mais? neste momento já estou a controlar a vontade de correr, pois o descanso vai ser necessário. como diria um cantor há umas décadas: é o bicho, é o bicho!
ainda não tive tempo de organizar os próximos posts, o antes, durante e depois da maratona e as lições aprendidas. mas hoje quero deixar-vos uma nota sobre a importância de definir indicadores e de medir a recuperação pós-maratona. como tudo na vida, é importante medir para poder aprender e melhorar. obrigado a todos pelas palavras carinhosas e pela motivação que injectam.
aqui vai!

domingo
a seguir à maratona, mais do que o corpo, dói a alma. mas dói com satisfação. portanto não se preocupem muito com este dia.
banho – conseguir tomar a seguir à prova já é um bom indicador
viatura – conseguir entrar no carro é uma vitória quase comparável à da maratona. sair é mais fácil, caso os braços tenham força para ajudar. voltar a entrar é demoníaco.
estações de serviço – não se preocupem com os olhares à volta. quanto mais forem olhados mais sucesso terá tido a maratona
refeições – se conseguirem comer também é divinal. um magnum (passe a publicidade) na estação de serviço de estarreja faz milagres
humor – se conseguirem rir, trocar mensagens, gargalhar das incidências da maratona, estão no bom caminho. é sinal que voltarão a fazer outra.

2ª feira
é o pior dia. tirei férias o que foi uma decisão sábia.
sair da cama – é o 1º grande indicador, só superado pelo “conseguir mudar de lado na cama”
banho – se conseguirem fazer uma ligeira flexão de pernas para lavar as partes baixas estão muito bem. se não conseguirem não desmoralizem, têm muitos anos pela frente para o fazer
andar – é um bom indicador conseguir andar. devagar se vai ao longe
sentar – é de extrema importância testar a capacidade de sentar, sem se deixar pura e simplesmente cair
levantar – indicador crítico. conseguir levantar, mesmo com a total ajuda dos braços é um achado. força!
degraus – no dia a seguir à maratona ou se mora numa casa térrea sem degraus ou tem que existir um elevador. subir e descer um degrau que seja é um bom indicador de performance
ir buscar o rodrigo à escola – é o máximo da performance para este dia. a descida para a escola é penosa. a subida no regresso faz-se melhor. o rodrigo não engoliu muito bem a razão porque não viemos pelos degraus entre os prédios, pois era mais perto.
apanhar objectos do chão – esqueçam. não é um indicador crítico. se cair algo no chão deixem ficar e treinem a capacidade negocial com os restantes habitantes.

3ª feira
sair da cama – já se sai melhor e o mundo começa a parecer mais amigável
banho – as partes baixas já são passado. já é possível ter um razoável nível de higiene
conduzir – chegar imaculado ao destino, sem batidas e sem atropelar ninguém significa estar no bom caminho
regresso ao trabalho – não liguem muito aos piropos. o sentimento é o mesmo que nas estações de serviço – quanto mais melhor. agradeçam todas as manifestações de amizade e carinho com aquele sorriso tipo “joker” que não conseguem desmanchar porque ainda arranjam uma cãibra nas bochechas
sentar, levantar e andar – se conseguirem melhorar em 10% a vossa performance estão no bom caminho
degraus – no trabalho também há elevadores. nunca esqueçam isso. descer cerca de 10 ou 15 degraus agarrado a um corrimão foi um teste de excelência que foi superado – esta foi mesmo teimosia minha, quis fazer o teste
apanhar objectos do chão – já devem ser capazes de apanhar um objecto volumoso, tipo saco grande, ou almofada do sofá
despedir dos filhos – já é possível subir aos beliches para um beijo de boa noite. subir 2 degraus é um feito. descer os 2 degraus sem cair é monumental.

4ª feira
tudo muda. o mundo volta à normalidade.
aqui estou, animado, agradecido a todos pela ajuda e incentivo e pronto a olhar os próximos objectivos.
não há limites!
abraço
ab

5 comentários:

Anónimo disse...

"bent(di)to" sejas!!!!!

bolas...que até a mim me dói a alma! Que força de vontade, Coragem,...nah!! eu jamais consegueria! Inveja... é sentimento que não me acompanha, mas sim, neste caso, tenho inveja desta determinação, empenho e concretização. Deve ser muito bom o que se sente depois de ultrapassados todos os obstáculos!

"quem me dera"...força e até à próxima.

cg

nadais disse...

antónio,
gostei muito de seu relato.
vamos ver como estarei em minha próxima maratona.
a primeira tirou-me 3 unhas dos pés!!!
disseram-me que há mais milionários no mundo que pessoas que terminam uma maratona.
parabéns!
nadais

Carlos disse...

Caro António Bento

Parabéns pelo Relato e pela prestação na Prova.
Já lhe enviei algumas fotos

Abraço

nadais disse...

antónio,
peço permissão para publicar tais relatos na minha página.
para incentivar outros corredores a enfrentar a mística maratona.
valeu!
nadais

Anónimo disse...

chloroplasts collect municipal charters jayaramhead again honolulu bangur funskdks workgroup colorado
semelokertes marchimundui