domingo, 20 de setembro de 2009

Mudança de Paradigma ou ... treinar melhor!


há precisamente 10 anos conheci a patologia degenerativa na coluna lombar. foi a carregar uma bilha de gás numa postura "fatal".
logo de seguida, 6 meses depois, fruto das brincadeiras e da sobrecarga do transporte das crianças então pequenas tive outro episódio.

quem já passou por eles sabe que nos imobiliza quase completamente. parecemos uns patos a andar, e sentimo-nos totalmente vulneráveis, pois parece que só a cabeça trabalha - e mesmo assim mal. até um espirro ou um esgar de riso causam dor ...

com alguns cuidados, não voltei a ter nada durante uns anos. com o início das lides na corrida em 2003, melhorei bastante e sentia-me o rei do mundo "lombar". em 2005, no primeiro treino do ano, mal aquecido, novo clique ou também chamada "chicotada". mais uns dias parado, 2 injecções, uma em cada nádega, cavalares, de voltaren relmus, umas sessões de osteopatia e o lombo lá seguiu para mais umas maratonas.

disseram-me na altura que devia deixar a corrida, dedicar-me a actividades mais suaves. ouvidas as opiniões lá segui, pois houve uma, a do "meu" osteopata, que me fez seguir. o lombo está algo penalizado mas nada de sobrenatural importância.

em 2008, em férias e depois de me fartar de brincar ao nélson évora na praia com os rapazes, por alturas dos jogos de pequim, regressei a lisboa todo empenado. mais um episódio e que lá ultrapassei com umas dorzitas e uma ajuda osteopática.

pois este ano, cá estamos novamente. a frequência dos episódios aumenta e há que tomar medidas (vão ter que chegar ao fim do post para saber quais :).

nos trilhos do monsanto, há 3 semanas, senti a chicotada numa das íngremes descidas. como estava quente, não liguei mas sabia-a por perto. nessa 2ª feira passou, mas na 3ª tive que meter um dia de férias no trabalho :(
a coisa curou-se, pensava eu. na passada 6ªf mais uma chicotadita, desta vez ao sair do carro - é que quem as conhece sabe que não escolhem hora, nem motivo, nem clima :)

ontem cá andei à pato, imobilizado, em casa. apesar de ficar (mais) doente só de pensar em tomar qualquer coisa (não gosto de medicamentos), lá embarquei nuns brufenes. hoje já estou bastante melhor e já ando quase normalmente.

nos piores momentos penso seriamente em dedicar-me durante 6 meses ou 1 ano a correr muito devagar, só para fazer exercício, saudável, suave, sem entrar em provas, nem sequer pensar nisso.
depois melhoro e reflicto: muito devagar já eu corro :)

hoje já penso em voltar a correr. tenho vontade. e gostaria de estar presente na corrida do monge, daqui a 1 mês. a ver vamos.

mas como referi, desta vez tenho que mudar!

sou dos que por inércia não realiza qualquer complemento muscular aos treinos de corrida. isto vai acabar!!!

para além do reforço muscular localizado abdominal e dorso-lombar, procurarei complementar a corrida com o kayak, para reforçar a zona lombar.

e irei perder 3 quilos para ficar nos 69, um peso mais agradável para não sobrecarregar o lombinho.

e quando melhoramos percebemos que mais do que mudar radicalmente deixando de ir às provas, aos trilhos, como aconselham o desânimo e o incómodo nos picos da dor, devemos dar-nos uma oportunidade e começar pelas pequenas mudanças, aquelas que são do senso comum e que qualquer atleta deve praticar:
- realizar fortalecimento muscular complementar à corrida, aquecer bem antes dos treinos e das provas.
no meu caso, em particular, procurarei igualmente caminhar como complemento à corrida, se não todos, quase todos os dias, para fortalecer os ligamentos da zona lombo-sagrada (conselho do meu neurocirurgião há muitos anos ... e quem nos avisa, nosso amigo é).

afinal sabemos sempre o que é preciso. por várias razões - no meu caso burrice, inércia, estupidez natural, não chegamos lá. até um dia ... caso queiramos continuar.

e quero, ó se quero!

ab

4 comentários:

BritoRunner disse...

Olá António

Eu também estou nesse clube, normalmente acontece quando ando na jardinagem...agora já tenho desculpa para me baldar à jardinagem...

Normalmente faço reforço muscular, mas mesmo assim por vezes não é suficiente.

Boa recuperação e em Março temos os "Trilhos do Almourol".

JCBrito

Carlos Ferreira disse...

Caro amigo como eu te compreendo.
O vicio é grande e não é umas reles "patologia degenerativa na coluna lombar" que nos vai fazer parar.
Seja qual for o paradigma estou contigo. Ainda esta semana vou incluir-te num desafio que vou fazer aos meus amigos amantes do palmilhar na estrada ou em outro qualquer lugar.
Abraço

Joaquim Patrício Ferreira disse...

Caro António!

Na verdade, todo o conteúdo deste Post me é "familiar", desde a "bilha de gás" até ao "parecemos uns patos a andar".

Tenho 57 anos, fui operado à Coluna Lombar 2 vezes, aos 37 e aos 40 anos, e actualmente na situação de Pré-Reforma, dedico-me a caminhar (últimamente a correr um pouco mais), todos os dias (no mínimo) 5 kms. - "Andar, andar muito, andar até se cansar ..." ... foi sempre o "discurso" do meu neuro-cirurgião", com resultados fantásticos!
"As caminhadas (de preferência a subir) fortalecem os músculos da zona lombar", dizia-me ele.

Tenho feito Provas de 10 kms nas últimas 3 semanas e sinto-me bem, quer durante as Provas, quer depois delas, presumo que do muito "treino" em Caminhadas!

Não receie correr "devagar", mau é deixar de correr, "ISSO" ... Sim!

Votos de rápidas melhoras,esperando ter em breve notícias, do seu regresso ao "alcatrão", com Saúde!
Um abraço!

Ricardo Baptista disse...

Olá António,
Eu também já pareci um pato a andar...
E o que eu sinto (sou tão médico como louco) é que o reforço muscular faz toda a diferença. Os exercícios de prancha frontal e prancha lateral, para mim, são muito eficazes.
Um abraço e boas corridas.